Existem alternativas

A reforma da previdência é a melhor saída? Qual reforma deve ser feita?

In Alternativas, Capa, Notícias 4 julho, 2017 11:49

A reforma da previdência em pauta é excludente e baseada em argumentos falsos, apresentados com grandes doses de terrorismo financeiro, que busca convencer o trabalhador a apoiar as mudanças que vão comprometer o futuro de todos. Existem alternativas a essa reforma? Qual reforma deve ser feita?

O texto que está em pauta para tornar-se a nova regra das aposentadorias de brasileiros e brasileiras exclui e obriga os trabalhadores a morrer prestando serviços aos empregadores para conseguir sustento, mesmo após toda uma vida ativa. Mulheres, pobres (em sua maioria negros) e trabalhadores rurais estão entre os mais prejudicados pelos termos da reforma.

Os argumentos falsos da reforma da previdência – a previdência como o maior gasto público do Brasil, o déficit mal explicado, as projeções mentirosas e os equívocos interpretativos da equipe econômica do governo de Michel Temer fazem parte de uma estratégia de terrorismo financeiro, que busca apoio popular para a aprovação da PEC 287 pautando-se em ameaças de um país sem futuro e sem condições de arcar com a seguridade social conforme os termos da constituição de 1988.

O objetivo do governo é gerar medo na sociedade com argumentos falsos.

Existem alternativas de reformas que reorganizem o setor financeiro do Brasil sem condenar os trabalhadores à morte e que não obrigue a população a pagar uma conta que não é dela, mas sim dos grandes devedores da previdência, por exemplo.

Analisemos rapidamente a questão dos juros: só em 2015, o Brasil pagou R$ 502 bilhões em juros. Esse valor é maior que os gastos com a previdência no mesmo ano, que consumiu R$ 86 bilhões. Em 2015, os gastos do governo com o pagamento de juros foram quase seis vezes maiores do que os direcionados para a previdência.

Os gastos com juros beneficiam algumas centenas de rentistas  – quem vive de rendas de aplicações financeiras, na sua maioria empresários – e os bancos, enquanto os gastos com a previdência beneficiam 30 milhões de famílias e mais de 100 milhões de pessoas que ganham um salário mínimo de aposentadoria ou pensões.

Você acha justo privilegiar o interesse do setor financeiro em detrimento de milhões de brasileiros com a reforma da previdência?

Ao invés de aplicar uma reforma da previdência excludente e mentirosa, não seria mais urgente pautar uma reforma no regime macroeconômico brasileiro, para equalizar gastos e tornar a arrecadação melhor  aplicada?

É sobre esse tema que trata o oitavo episódio da web-série ‘Reforma da Previdência: você acha justo?’, da Plataforma Política Social com a participação do ator Herson Capri. Assista, compartilhe e participe do debate sobre a reforma da previdência:

 

 

Leia também:

Reforma da previdência prejudica mulheres e professores

Por que as mudanças na previdência rural preocupam

Os pobres novamente sob suspeita

Sob o risco da desproteção social: a reforma da previdência e seus impactos na assistência social

Você também pode ler!

“É nas ruas que a gente pode derrotar as reformas”, afirma Eduardo Mara

Membro da Direção Nacional da Consulta Popular fala sobre Plano Popular de Emergência. Ouça a entrevista Do Brasil de

Read More...

Requião quer referendo para revogar leis aprovadas sem autorização da população

Em participação na 19ª Conferência Nacional dos Bancários, em São Paulo, peemedebista destaca que o Congresso não tem legitimidade

Read More...

Previdência pode ser votada no mês que vem

Governo quer votar, mas oposição diz que não há voto suficientes para aprovar reforma. Da Agência Câmara, no Diário

Read More...

Responda:

Seu endereço de email não será publicado

Mobile Sliding Menu