INFOGRÁFICO

Por que trabalhadores rurais se aposentam mais cedo?

In Destaques, Entenda 8 fevereiro, 2017 12:20
infografico mostra numeros da aposentadoria rural

Saiba porque é injusto equiparar trabalhadores do campo e da cidade e como a “reforma” da Previdência vai aumentar desigualdades

Segundo especialistas, um dos setores mais prejudicados pelas mudanças contidas na PEC 287 é o dos trabalhadores e trabalhadoras do campo. As alterações propostas pelo governo Temer ignoram  as condições próprias do trabalho rural e a sazonalidade da produção, assim como a árdua jornada da mulher.

Os dados IBGE/PNAD de 2015 mostram que 44,2% da população ocupada começou a trabalhar com menos de 14 anos no Brasil. Nas zonas urbanas, 34% das mulheres e 45,3% dos homens iniciaram antes dessa idade, mas, no campo, a situação é bem pior: são 70,2% da população ocupada feminina e 78,2% da masculina.

“É um trabalho penoso, não tem férias, muitas atividades não têm feriado, e as pessoas vão dormir muito tarde porque estão trabalhando”, argumenta José Wilson Gonçalves, secretário de Políticas Sociais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). “Imagina alguém que começa a trabalhar nessa idade [14 anos], com esse tipo de trabalho? Quando a mulher chega aos 55 e o homem aos 60, muitos deles já estão com sua capacidade de desempenho de produção bastante fragilizada.”

Veja o infográfico abaixo e confira os dados sobre aposentadoria rural.

Você também pode ler!

A nova estratégia é ‘descolar’ reforma da previdência de Michel Temer

Agenda econômica que impõe reforma da previdência estaria acima da questão presidencial. Equipe econômica pretende agir descolada de Temer

Read More...

Reforma trabalhista: prós e contras da jornada 12 x 36

Sem mecanismos de proteção, o regime de 12 horas de trabalho seguidas de 36 de descanso, sem intervalo para

Read More...

‘Estamos mudando o modelo de sociedade pactuado em 1988’

No Senado, professor Fagnani cita Conceição Tavares para mostrar ‘irresponsabilidade social’ da reforma trabalhista. Ele também critica discussão “a

Read More...

Responda:

Seu endereço de email não será publicado

Mobile Sliding Menu