Greve geral contra o retrocesso

3 Motivos para cruzar os braços dia 28 de abril

In Agenda, Destaques, Notícias 5 abril, 2017 11:49

Greve geral contra o retrocesso

 

Grande greve convocada para o dia 28 de abril une centrais sindicais e movimentos sociais contra a reforma da previdência e os retrocessos que vão destruir o trabalhador. Material da CTB está disponível para download.

Da redação

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, CTB, junto com as centrais sindicais e os movimentos sociais, estão na luta contra a reforma da previdência proposta por Michel Temer. Uma grande mobilização está sendo convocada para o dia 28 de abril, e foi lançado material de conscientização sobre a greve geral e os principais pontos da reforma que atingem a vida do trabalhador.

Previdência, mitos e verdades apresenta a íntegra do material e disponibiliza o arquivo original para download.

O governo quer que a gente morra de trabalhar sem se aposentar

O governo diz que a Previdência é deficitária, mas é mentira! Ele manipula os cálculos! Só em 2015 teve um superávit de, acredite, R$ 11,2 bilhões de reais.

Aumenta  idade  mínima

Com  a  reforma  da  Previdência,  homens  e  mulheres  só  poderão  se  aposentar  quando
tiverem de 65 anos de idade. Hoje, há casos em que é possível a mulher se aposentar aos 55 e homens aos 60.
Igualando a idade, a mulher trabalhadora será ainda mais prejudicada.

Mais tempo de contribuição

Para um trabalhador ou trabalhadora se aposentar terá de comprovar pelo menos 25
anos de contribuição. Hoje, a exigência é de 15 anos.

49 anos para benefício integral

O que é pior é que só terá direito ao benefício integral quem, com 65 anos, comprovar que também contribuiu 49 anos à Previdência, de forma ininterrupta.

Fim de aposentadorias especiais

Trabalhadores e trabalhadoras rurais, trabalho insalubre e em condições especiais, pessoas com deficiências e aposentadorias por incapacidade serão ferozmente atacadas.
Ataque às pensões

Na proposta do Governo, fica vetado o acúmulo de benefícios. Não será mais possível acumular aposentadoria e pensão por morte, por exemplo. Haverá redução de 50% no valor das pensões por morte e, a partir daí será acrescentado mais 10% por dependente, com o limite de cinco filhos beneficiados.

Afeta quem está na ativa

Eles querem que essas novas regras já valham para homens com menos de 50 anos e mulheres com menos de 45 anos. Os que tiverem acima desta idade entram numa regra de transição e poderão se aposentar pelas regras atuais, mas terá de contribuir com 50% a mais sobre o tempo que faltava para a aposentadoria.

A reforma acaba com direitos históricos

O governo Temer pretende acabar com direitos históricos da classe trabalhadora, que hoje são Lei, garantidos na CLT.
Férias e jornada ameaçadas
Estão ameaçadas as férias de 30 dias, a jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44
semanais, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) que poderá ser parcelada em quantas vezes quiserem os
patrões e podem diminuir até o horário de refeição.
Trabalho temporário
O trabalho ficará ainda mais desregulamentado. O contrato de trabalho temporário passará
a ter vigência de 4 meses e poderá ser prorrogado por igual período

Terceirização precariza o trabalho

O projeto de lei da terceirização, o PL 4302, aprovado na Câmara Federal, impõe total superexploração à classe
trabalhadora brasileira com a legalização da terceirização nas atividades fim. É o “liberou Geral” da precarização!
Não haverá geração de emprego. O que vai ocorrer, de fato, é uma onda de demissões de trabalhadores contratados pela CLT para posterior contratação terceirizada.
Na prática, significa trabalho com salários mais baixos, maior jornada, menos direitos trabalhistas e péssimas
condições de trabalho e resultará também em maior número de acidentes, doenças (estresse, depressão, lesões
por esforço repetitivo entre outros) e mais mortes por acidente de trabalho.

Você também pode ler!

“É nas ruas que a gente pode derrotar as reformas”, afirma Eduardo Mara

Membro da Direção Nacional da Consulta Popular fala sobre Plano Popular de Emergência. Ouça a entrevista Do Brasil de

Read More...

Requião quer referendo para revogar leis aprovadas sem autorização da população

Em participação na 19ª Conferência Nacional dos Bancários, em São Paulo, peemedebista destaca que o Congresso não tem legitimidade

Read More...

Previdência pode ser votada no mês que vem

Governo quer votar, mas oposição diz que não há voto suficientes para aprovar reforma. Da Agência Câmara, no Diário

Read More...

Responda:

Seu endereço de email não será publicado

Mobile Sliding Menu